Calendar Quarta, Outubro 22, 2014
Text Size
   

apoiadores

Banner
Banner

Filiada

Banner
Entendendo melhor as lesões no tornozelo PDF Imprimir E-mail
Escrito por Jose Pissin   

Vou começar esse artigo explicando que não sou médico e nem profissional de nenhuma área da medicina, mas como todo bom atleta (mesmo que de final de semana) convivo com os eventuais problemas relacionados a lesões. O fato motivador desse texto foi a mais recente lesão que tive depois de uma forte torção no tornozelo direito, acabei descobrindo que eu tinha uma ideia errada sobre o mecanismo e o efeito dessas torções, mesmo tento passado por diversas delas durante o longo tempo em que pratico o basquetebol. Resolvi então compartilhar um pouco do conhecimento adquirido nessa experiência.

No decorrer do artigo vou citar textos médicos que colhi na Internet, porém alerto que não é possível a comprovação da veracidade de nenhum deles, mas todos estão alinhados com as informações que recebi dos médicos com quem tratei a minha lesão.

Vamos ao básico, segundo o site

O que é a entorse do tornozelo?
A entorse de tornozelo é uma lesão que causa um estiramento ou ruptura de um ou mais ligamentos da articulação do tornozelo. Ligamentos são fortes faixas de tecido que conectam os ossos das articulações e uma de suas funções é restringir o movimento da articulação.

As entorses podem ser classificados: graus I, II ou III, dependendo de sua gravidade:

• Entorse grau I: Dor, com dano mínimo ao ligamento.

• Entorse grau II: Porção maior do ligamento é danificada, que gera uma leve frouxidão da articulação.

• Entorse grau III: Ruptura completa do ligamento e a articulação fica bastante instável.

Como ocorre?
É gerada por uma virada forçada do tornozelo. Na maioria das entorses, o pé vira para dentro ou para baixo, causando uma lesão na parte externa do tornozelo.

Quais são os sintomas?
• Dor contínua e localizada, variando de suave a intensa e independente de descarga de peso,
• Edema,
• Equimose,
• Impossibilidade de movimentar o tornozelo.

Como é diagnosticada?
O médico revisará o mecanismo de lesão e examinará o tornozelo, levando em conta os sintomas. Podem ser pedidos Raios-X.

Como é tratada?
O tratamento pode incluir:
• Compressas de gelo sobre o tornozelo, por 8 minutos, seguidos de 3 minutos de pausa. Esse ciclo deve ser repetido até completar 30 minutos, por 3 ou 4 dias ou até que a dor desapareça. Sempre proteger a pele com um lenço ou outro pano, para evitar queimaduras.
• Elevação de tornozelo, colocando um travesseiro embaixo do pé.
• Uso de faixa elástica envolta no tornozelo, para evitar que o edema piore.
• Uso de tornozeleira.
• Uso de muletas, até que seja possível andar sem sentir dor.
• Uso de medicamento antiinflamatório ou analgésico, prescrito pelo médico.
• Fisioterapia.

Em alguns casos de entorses graves com instabilidade, a cirurgia é necessária, neste caso, o tornozelo ficará engessado por 4 a 8 semanas.

Agora que sabemos o básico vem uma diferenciação importante entre o que normalmente conhecemos como rompimento de ligamentos do tornozelo e o que realmente acontece nesses casos, e porque muitas vezes se confunde rompimento com lesão dos ligamentos,Quando acontece um entorse é comum que ao nos depararmos com um edema apareça alguém dizendo que “rompeu o ligamento”, mas existe uma diferença importante, na maioria dos casos o que ocorre é uma lesão no ligamento, como na imagem abaixo:

 

Lesionados

Repare nessa imagem que os ligamentos estão lesionados, podemos até dizer que ocorreu um rompimento, porém parcial, mas eles não estão totalmente rompidos, o que faz uma grande diferença tanto no tratamento quanto no tempo de inatividade.

O que acontece na maior parte dos casos é o rompimento parcial, que normalmente é restabelecido com fisioterapia em um prazo médio entre 4 a 8 semanas. O outro nível é bem mais complicado, principalmente nos entorces de grau III acontece o rompimento total de um ou mais ligamentos, veja na imagem abaixo:

rompido

Nesse caso os ligamentos foram totalmente rompidos, sem a menor possibilidade de recuperação sem a necessidade de uma intervenção cirúrgica. Claro que a cirurgia depende muito de qual, ou quais, os ligamentos afetados, e ainda qual será o impacto nas atividades cotidianas de cada um.

No caso de atletas é imprescindível a reconstrução, caso contrário pode interferir na continuidade das atividades esportivas.

Os entorces de Grau III normalmente também trazem algum tipo de dano a cartilagem, o que só pode ser comprovado com exames de ressonância magnética.

De qualquer forma o objetivo aqui era de alertar para as diferenças entre a lesão e a roptura dos ligamentos do tornozelo, lembrando sempre que o mais importante é procurar e fazer o acompanhamento médico. Raio-x e ultra-som são exames essenciais em todos os casos, além de um bom trabalho de fisioterapia e complemento com gelo e exercícios em casa.


José Luis Pissin – ABVMS - Agosto/2009

 

Referências:

Clinica Deckers - http://www.clinicadeckers.com.br